Na contramão do exterior, Ibovespa tem semana de recuperação

170

As sanções americanas à gigante chinesa de tecnologia Huawei balançaram o mercado global. Para piorar, a Primeira-Ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou sua renúncia do cargo, jogando o país para um novo ciclo de incertezas e um plano de saída da União Europeia a ser desenhado.

Mesmo em meio a esse cenário negativo, o Ibovespa encerrou a semana com ganhos próximos a 4%, recuperando-se da queda forte de semana passada. O avanço de reformas no Congresso ajudaram. Por outro lado, Rodrigo Maia anunciou rompimento com o líder do governo, enquanto as expectativas dos agentes econômicos seguem em queda.

Foto reprodução

Vejamos se nos próximos dias a calmaria persiste e o mercado segue avançando. Acompanhe a cotação do Ibovespa e outros detalhes sobre o principal índice do mercado brasileiro:

Melhora na Bolsa não se reflete nas expectativas.

As turbulências da semana passada parecem ter sido sentidas nas expectativas do mercado para a economia neste ano. O relatório Focus apresentou queda novamente nas projeções do PIB, que caiu 0,21 p.p. para 1,24%, além de elevação no IPCA (4,07%) e na taxa de câmbio (R$3,80).

Alguns índices de confiança também mostraram recuo. O índice de confiança do consumidor caiu 2,9 pontos em maio na comparação com abril, quarto mês de queda. No mesmo sentido, o Índice de Confiança do comércio recuou 5,4 pontos em maio, passando de 96,8 para 91,4 pontos.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas, que elabora os indicadores, as frustrações com as expectativas econômicas, o desemprego e os fatores políticos limitam a melhora do ambiente de negócios, as decisões de consumo e levam as empresas a terem cautela quando planejam os próximos meses.

Vale sob tensão em torno da barragem de Barão de Cocais.

A previsão de rompimento da barragem da Vale (VALE3) localizada na mina de Gongo Soco gerou desconforto em relação à Companhia. Uma Juíza da Vara de Barão de Cocais (MG) elevou o teto de uma multa aplicada à Companhia para R$300 milhões.

Câmara dos Deputados aprova MP sobre participação de capital estrangeiro nas Aéreas.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (21) a Medida Provisória (MP) que aumenta o limite de 20% para 100% da participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras como Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4).

CESP realizou Oferta Pública de Aquisição de Ações.

A CESP (CESP6) realizou uma OPA (Oferta Pública de Aquisição de Ações) com o preço de R$11,28 por ação ordinária e R$14,32 por ação preferencial. A manobra não visa fechar totalmente o capital da Companhia, mas deve reduzir significativamente as ações em circulação.

Conselho da Petrobras aprova venda de fatia na BR Distribuidora.

O conselho de administração da Petrobras (PETR4) aprovou a venda da sua participação da BR Distribuidora (BRDT3) por meio de oferta pública secundária de ações. Com isso, a Companhia passará a ter participação inferior a 50% na distribuidora.

Totvs capta R$1,066 bilhão com oferta de ações.

A Totvs (TOTS3) finalizou a oferta subsequente de ações no preço de R$39,50, fechando a captação de R$1,066 bilhão com a venda de 27 milhões de novas ações.

Rallye entra com pedido de proteção contra seus credores.

A Rallye controla o controlador do Grupo Pão de Açúcar (PCAR4)  – sim, é confuso. As ações PCAR4 subiram quase 5% na semana, já o Casino, que é controlador do Grupo Pão de Açúcar, não foi afetado pela decisão.

Natura e Avon encontram sua química.

As ações da Natura (NATU3) chamaram atenção de muitos investidores nesta semana. Além superar um topo histórico na região de R$53,50, os ativos chegaram a subir mais de 9% depois que Companhia fechou acordo para aquisição de sua concorrente, a Avon.

Essa compra foi confirmada por meio de um acordo de troca de ações em que os acionistas da Natura vão ficar com 76% da Empresa enquanto os da Avon deterão os 24% restantes.

O que pegou muita gente de surpresa foi a queda de 8,54% que as ações sofreram no pregão de quinta-feira (23), um movimento característico de realização de lucro por parte dos investidores que já estavam posicionados, mas na sexta-feira (24) o movimento de alta voltou a ser predominante e o ativo encerra a semana subindo mais de 8%, consolidando uma tendência altista. 

O que moveu os mercados globais nesta semana:

  • Guerra comercial e tecnológica – Sanções da Casa Branca pressionam Huawei e setor de tecnologia.
  • Após inúmeras derrotas no parlamento britânico, Theresa May renuncia ao cargo.
  • Fed renova posição dovish sem dar sinais de elevação da taxa de juros. Yields caem.
  • É o fim do bull market norte americano?

*Com informações da Toro Investimentos