Em dia de caos no Mercado, Oi (OIBR3) e Taurus (TASA3) registram maiores altas da Bolsa

102

Diante da forte tensão no mercado financeiro global por conta do coronavírus, que já fez mais de 80 vítimas e infectou quase 3 mil pessoas no mundo, o Ibovespa fechou em queda de 3,29% nesta segunda-feira (27) e anulou os ganhos no ano. Na contramão dos mercados, Taurus Armas (TASA3) e Oi (OIBR3) registram as duas maiores altas da bolsa subindo 7,79% e 2,08% respectivamente.

Oi (OIBR3) e Taurus (TASA3)
Oi (OIBR3) e Taurus (TASA3)

Mudança de cenário para a Oi?

A Ágora Investimentos, corretora do grupo Bradesco, divulgou uma nota extremamente positiva sobre a conclusão da venda da angolana Unitel pela Oi (OIBR3) e recomendou compra dos papéis da companhia.

A nota que foi assinada pelos conceituados analistas Fred Mendes e Flávia Meireles, classifica a venda da participação na Unitel como um negócio “altamente positivo”.

“A Oi ganhou no mínimo 2 anos durante os quais pode se concentrar completamente em suas operações, considerando também os R$ 2,5 bilhões do empréstimo-ponte”, afirma a Ágora, que acrescenta outras três vantagens decorrentes do acordo.

A primeira é que, a partir de agora, a operadora estará em “uma posição melhor e mais confortável” para negociar a venda de sua área de telefonia móvel. Esta é, aliás, a próxima grande medida que parte do mercado espera da companhia.

A segunda é a possibilidade de a empresa trocar uma dívida mais cara (o empréstimo-ponte) por uma mais barata, devido ao fôlego que ganhou com o US$ 1 bilhão obtidos por sua fatia de 25% na Unitel (dos quais, US$ 700 milhões pagos nesta sexta-feira, 24).

De acordo com a Ágora, o último benefício da transação é que o dinheiro permitirá reforçar a equipe da companhia com gestores bem qualificados, ampliando a capacidade de a companhia arrumar a casa.

Os analistas destacaram que “a gestão será muito importante nesta nova etapa: a administração agora poderá voltar sua atenção totalmente para as operações da empresa.”

E acrescentam: “o processo de recuperação não será fácil, pois a Oi enfrenta vários desafios, mas vemos alta qualidade na equipe de liderança da empresa, que poderá ser aprimorada ainda mais agora que as condições financeiras estiverem melhores.”

Taurus Armas

As ações da Taurus fecharam em alta de 7,79% após o anúncio de um acordo para a criação de uma empresa em conjunto com a indiana Jindal Steel.

A Jindal Group, sócia da Taurus, com 51% do capital da joint venture é a maior fabricante de aço da Índia e uma das dez maiores do mundo, também é detentora de um faturamento anual superior a US$ 24 bilhões e conta com 200 mil funcionários no mundo é a

Por volta de 10h45, os papéis preferenciais avançavam 11,11%, para R$ 6,70. Os ordinários eram negociados em leilão, após subirem 15,78%, para R$ 6,09. O Ibovespa caía 2,42%, em dia de pânico nos mercados por causa do coronavírus.

A expectativa é que a produção de armas na Índia comece no segundo semestre deste ano. A empresa inicialmente irá fabricar revólveres e pistolas. Depois, começarão a ser produzidas armas militares.

Segundo informações do site da Taurus, a Índia é hoje o segundo maior mercado consumidor de armas e uma das maiores potências militares, com mais de 1,3 milhão de militares. “Na área de segurança pública, a Índia possui 1,4 milhão de policiais e cerca de sete milhões de agentes de segurança particulares.”

Pelo acordo, a Taurus vai entrar com transferência de tecnologia e terá 49% da nova empresa. A Jindal terá 51% e na etapa inicial investirá US$ 20 milhões.