BCFF11 sofre com alta da Selic

134

Nas últimas semanas os investidores do Fundo Imobiliário BCFF11 sofreram com as constantes desvalorização das cotas do fundo, porém o momento é de cautela, os fundamentos do FII BTG PACTUAL FUNDO DE FUNDOS seguem inalterados, a variação do preço ocorreu única e exclusivamente por conta dos reajustes previstos para a Selic ao longo do ano.

De acordo com a B3, cerca de 1,3 milhão de pessoas investem em fundos imobiliários no país. Parcela esta que pode estar descontente com os ganhos, uma vez que o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) registra uma queda de 1,98% no ano. Algumas razões ajudam a explicar essa baixa. A principal está nos juros, cada vez maiores por causa da disparada da inflação. Selic mais alta pode comprometer novos financiamentos. “A Selic entra como uma concorrente no bolso do investidor porque ele naturalmente compara os ganhos mensais nos fundos com a renda fixa”, avalia Felipe Solzki, gestor de fundos imobiliários da Galapagos Capital. O Copom elevou a taxa de básica de juros para 4,25% ao ano.

BCFF11 FII BTG PACTUAL FUNDO DE FUNDOS
BCFF11 FII BTG PACTUAL FUNDO DE FUNDOS

Ainda que, a priori, a troca do IGP-M pelo IPCA como índice de correção de alguns contratos possa prejudicar os fundos, a mudança não é determinante para os ganhos porque a expressiva alta do IGP-M não era prevista pelos gestores. “Nenhum investidor profissional esperava que as receitas fossem crescer a esse nível de IGP-M. Isso não estava modelado nos cálculos”, afirma Solzki. Outro fator importante está no campo da oferta. Se o número de novos investidores disparou, a oferta de fundos imobiliários também subiu.

Em 2020, por exemplo, foram quase 25 bilhões de reais em 75 novas ofertas. Para ter maior atratividade, alguns fundos saem com descontos em relação ao mercado secundário.

Fundo de fundos como o BCFF11 possuem um perfil de ser bem diversificado. Investindo em FOFs, o portfólio do fundo vai se dividir em uma variedade de fundos distintos.

FII BTG PACTUAL FUNDO DE FUNDOS é um fundo de investimento imobiliário do tipo ANBIMA renda gestão ativa de segmento títulos e valores mobiliários. É constituído sob a forma de condomínio fechado, com prazo de duração indeterminado, sendo regido por seu regulamento e pelas disposições legais que lhe forem aplicáveis.

Características do fundo BCFF11

Fundo Imobiliário BTG Pactual Fundo de Fundos foi constituído em agosto de 2009 e tem como objetivo principal a aquisição de cotas de outros Fundos de Investimento Imobiliário, bem como Certificados de Recebíveis Imobiliários (“CRI”), Letras Hipotecárias (“LH”) e Letras de Crédito Imobiliário (“LCI”).

O fundo terá por política básica realizar investimentos imobiliários de longo prazo, objetivando auferir rendimentos da cotas de outros fundos de investimento imobiliário que vier a adquirir.

Seus recursos serão aplicados, sob a gestão da Administradora, segundo uma política de investimentos definida de forma a proporcionar aos cotistas uma remuneração para o investimento realizado.

Destaca-se que o BCFF11 deverá respeitar os limites de aplicação por emissor e por modalidade de ativos financeiros estabelecidos nas normas aplicáveis aos fundos de investimento em geral.

Observados os critérios estabelecidos em seu regulamento, a administradora, poderá adquirir os ativos-alvo independentemente de autorização específica dos cotistas.

O fundo é administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM S.A.

As cotas do BTG Pactual Fundo de Fundos são negociadas com o código (ticker) BCFF11 no mercado de bolsa da B3 – Brasil, Bolsa e Balcão.

Sua taxa de administração é de 0,15% ao ano sobre o patrimônio líquido com mínimo de R$ 25.000,00 mensais corrigido pelo IGPM.

Fontes: Founds Explorer e Radar Econômico