5 investimentos com baixo risco que rendem bem mais do que a poupança

133

Para quem sempre manteve o dinheiro na poupança, escolher um investimento nem sempre é fácil. São vários nomes estranhos e muitas particularidades. Atrelado ao CDI? Prefixado?

O primeiro passo é não ter medo de diversificar as aplicações. É possível, sim, ter mais rentabilidade do que a da poupança com operações simples e seguras e aplicando a partir de R$ 10. Quer ver? Vamos dar uma força!

Foto reprodução

Na lista abaixo, você verá cinco investimentos com baixo risco e que costumam render mais do que a poupança. Confira:

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Como o nome dá pistas, é um título de renda fixa emitido para financiar projetos imobiliários. Na prática, quem compra uma LCI está emprestando dinheiro para o mercado de imóveis e recebe juros em troca. No geral, as LCIs são emitidas com datas fixas para retorno do investimento. Nesses casos, você não poderá contar com esse dinheiro para alguma emergência. As LCIs são livre de Imposto de Renda e garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante o ressarcimento ao investidor em até R$ 250 mil caso haja problemas com a instituição financeira.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

É um título emitido por bancos para captar recursos. Ou seja, ao comprar um CDB, você “empresta” dinheiro para o banco que, por sua vez, devolve o valor aplicado com um rendimento, de acordo com o prazo de vencimento.

Em geral, os CDBs costumam ter o rendimento indexado ao CDI, cujo percentual é bem próximo à Selic, taxa básica de juros da economia, hoje em 6,5% ao ano.

No caso do CDB da Neon, o rendimento começa em 95% do CDI e, a cada seis meses, vai aumentando em 1%, até chegar a 101% do CDI. Em outras palavras, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, maior será o retorno da sua aplicação. CDBs também são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e pagam Imposto de Renda sobre a rentabilidade, de acordo com tempo do investimento (tabela regressiva de 22,5% a 15%).

A Neon é a fintech que oferece uma conta 100% digital sem mensalidade ou anuidade e permite criar investimentos de forma muito simples diretamente pelo aplicativo. O valor inicial para aplicar é a partir de R$ 10, e é possível escolher entre criar um investimento livre (você pode investir o valor que quiser) ou criar um objetivo (o app calcula quanto você precisa juntar de acordo com o objetivo que você tiver e faz as aplicações de forma automática). É possível criar vários tipos de investimento ao mesmo tempo e customizar o nome e a imagem deles no aplicativo. Saiba mais sobre os investimentos com a Neon.

Tesouro Direto

Emitidos pelo governo federal, são títulos públicos garantidos pelo Tesouro Nacional. Ao comprar papéis disponíveis no programa do Tesouro Direto, o investidor, na prática, está emprestando dinheiro ao governo federal que, decorrido o prazo de vencimento do título, devolve o montante aplicado com uma remuneração (que pode ser pós ou prefixada).

Os títulos do Tesouro Direto também pagam Imposto de Renda sobre a rentabilidade, na mesma situação do que os CDBs.

Letra de Câmbio (LC)

Apesar do nome, LC nada tem a ver com uma operação de câmbio. Esses títulos são vendidos como forma de captação de recursos para as financeiras. Ao comprar uma LC, você está emprestando dinheiro para uma financeira e vai receber juros em troca disso no fim do prazo estipulado pelo título. Nas LCs, também há pagamento Imposto de Renda. Elas são cobertas pelo FGC.

Debêntures

São títulos de dívida emitidos por empresas privadas ou públicas. Ao comprar uma debênture, você se torna credor da companhia e ajuda essa empresa a financiar investimentos e projetos. Em contrapartida, ela paga a você juros (rendimento) pelo dinheiro aplicado por um prazo específico. Diferentemente de LCI, LC e CDB, não contam com FGC. Ou seja, o risco é maior, mas a rentabilidade também costuma ser maior.